OPERAÇÃO MARKET-GARDEN


ÍNDICE

Descrição da Operação Market Garden

1ª Divisão Aerotransportada britânica

101ª e 82ª Divisões Aerotransportadas  americanas

XXX Corpo  Britânico


O XXX CORPO BRITÂNICO - DIA A DIA

Um Sherman Firefy britânica em operação na Holanda

DIA 17 - XXX CORPO DE EXÉRCITO BRITÂNICO

O Tenete-General Horrocks comandante do XXX Corpo ordenou a Divisão de Guardas que iniciasse o seu avanço. Havia uma só estrada que conduzia a Valkenswaard e Eindhoven, o que fez com que o avanço fosse difícil. Os Guardas foram apoiados por uma barragem de artilharia móvel. Tudo ia bem, mas na fronteira belgo-holandesa o avanço foi cessou diante das armas anti-tanque alemãs. Num instante foram perdidos  vários tanques Shermans. Só depois da ajuda dos caça-bombardeiros Typhoon da RAF que com sucesso foi esmagada a resistência alemã. O avanço continuou lentamente, e no primeiro dia da Operação Market Garden o XXX Corpo só alcançou Valkenswaard, e não o seu objetivo intencional, Eindhoven.  A parte terrestre da operação (Garden) estava atrasada.

 

Os Typhoons eram implacáveis contra os comboios alemães e apoiavam o avanço do XXX Corpo

 

DIA 18 - XXX CORPO DE EXÉRCITO BRITÂNICO

A Divisão de Guardas passou a noite em Valkenswaard para a surpresa dos soldados. Por que parar durante a noite quando  já se estava atrasado? Mas os soldados não sabiam da situação em Son. Porque a ponte foi detonada era insensato continuar o avanço durante a noite. Depois de dez horas de sono, o avanço recomeçou. Só na retaguarda de Aalst, uma pequena cidade entre Valkenswaard e Eindhoven, é que os Guardas irlandeses e a Cavalaria Household que conduziam o XXX Corpo encontraram uma posição de 88mm alemães. Enquanto a batalha perto de Aalst continuava, um grupo de blindados da Cavalaria Household se dirigiu para Eindhovenpoelo oeste por uma curva ao largo da cidade. Eles alcançaram Woensel, ao norte de Eindhoven, e estabeleceram o primeiro contato com os pára-quedistas da 101ª Divisão Aerotransportada americana. Depois que os alemães foram derrotados em Aalst, a força principal dos Guardas alcançou Eindhoven. Eles continuaram até a ponte de Son onde um avanço adicional era impossível. 

DIA 19 - XXX CORPO DE EXÉRCITO BRITÂNICO

Durante a noite os Reais Engenheiros Reais trabalharam continuamente na ponte Bailey no canal de Wilhelmina. Cedo de manhã o trabalho foi concluído. Os tanques Shermans dos Guardas Granadeiros conduziram o XXX no cruzamento da ponte. Eles avançaram diretamente para Veghel onde eles se uniram com o 501º Regimento da 101ª Divisão Aerotransportada. Embora os americanos tivessem tomado a ponte sobre o canal de Zuid-Willemsvaart intacta alguns tanques tiveram que cruzar o canal por uma ponte de madeira temporária (construída pelos engenheiros aerotransportados) porque a ponte levadiça tomada era muito estreita. Às 09:00h, o segundo contato foi feito. Unidades de reconhecimento do XXX Corpo alcançaram a 82ª Divisão Aerotransportada norte-americana a Grave. Uma hora mais tarda, tanques britânicos cruzaram a ponte em Grave e foram para Nijmegen. 

 

Agora que Nijmegen foi alcançada, um fluxo constante de veículos do  XXX Corpo passava pelo corredor sul de Nijmegen até 22 de setembro. O percurso mais curto de Grave para Nijmegen passava por cima da ponte do canal  Maas-Waal conhecida como a ponte de Honinghutjes. Ela foi danificada nos combates entre os pára-quedistas americanos e os alemães e os tanques britânicos não podiam não podiam passar por ela. Assim Nijmegen foi alcançada por um desvio. O XXX Corpo teve que cruzar o canal de Maas-Waal em  Heumen e continuar até Nijmegen. Quando os Guardas alcançaram Nijmegen um ataque anglo-americano foi lançado para se obter o controle das pontes a Nijmegen, mas infelizmente o ataque falhou.

DIA 20 - XXX CORPO DE EXÉRCITO BRITÂNICO

A Divisão de Guardas apoiou o ataque americano a ponte. a heróica travessia do rio heróico pelos pára-quedistas americanos em pequenos barcos teve êxito. Imediatamente os primeiros tanques Shermans cruzaram a ponte rodoviária. A ponte estava em mãos Aliadas. Os Guardas de Coldstream ajudaram a limpar Mook dos alemães que tiveram sucesso recapturando a aldeia e estavam ameaçando a ponte agora em Heumen. O corredor também estava em perigo em Son, mas os Aliados mantinham o controle.   

DIA 21 - XXX CORPO DE EXÉRCITO BRITÂNICO

O General Horrocks, do XXX Corpo, não permitiu que os tanques britânicos continuassem a avançar para Arnhem até sua infantaria chegasse. Ele ordenou que esperassem pelos tropas do Maj. Gen. G. Ivor Thomas, a 43ª Divisão Wessex, embora elas não tivessem nem mesmo alcançado Grave. Embora a urgência da situação fosse obvia, esta divisão fez um progresso lento. Os constantes ataques alemães ao corredor retiveram as tropas britânicas por muito tempo.  

DIA 22 - XXX CORPO DE EXÉRCITO BRITÂNICO

Os alemães lançam grandes ataques contra os pára-quedistas com o objetivo de destruir as pontes em Veghel e por várias vezes tiveram sucesso bloqueando o corredor ao norte deste local. Embora as pontes permanecessem intactas e em mãos Aliadas, o XXX Corpo britânico avançava no ritmo de “uma parada militar”.

Tanques Panthers alemães atacam colunas britânicas

DIA 23 - XXX CORPO DE EXÉRCITO BRITÂNICO

Forças alemãs lançaram vários ataques a Veghel. Todos foram detidos mas o corredor ainda estava cortado. Era vital que o avanço para Nijmegen e Arnhem continuasse. Horrocks enviou os 32º Brigada de Guardas de Nijmegen para abrir o corredor novamente. Por volta das 17:00h eles chegaram pelo norte de Veghel. Um ataque combinado de ambos os lados pelos americanos e tropas britânicas finalmente levantou o bloqueio e o corredor foi aberto. Porém, o XXX Corpo estava muito atrasado. 

Infantaria britânica no Noroeste da Europa em 1944 

DIA 24 - XXX CORPO DE EXÉRCITO BRITÂNICO

Embora os alemães tivessem abandonado Erp, eles ainda tentaram cortar o corredor. O Oberstleutnant Von der Heydte comandante do 6º Fallschirmjägerregiment  lançou um ataque a Veghel vindo do oeste. Um confronto entre as forças alemãs e americanas aconteceu na aldeia de Eerde, no sul de Veghel. A batalha foi feroz, mas os pára-quedistas americanos das  prevaleceram. Mais ao sul, o corredor foi atacado perto de Koevering, um vilarejo entre St. Oedenrode e Veghel. Aqui, por volta das 17:00h, o Kampfgruppe ' Jungwirth' cortou o corredor. Vários caminhões britânicos do XXX Corpo foram alvo do fogo alemão. O contato entre o 501º e 502º Regimento da 101ª estava cortado. Foram enviados reforços imediatamente para Koevering, mas os alemães tinham tomado posições ao longo da estrada e as mantinham sobre controle.

DIA 25 - XXX CORPO DE EXÉRCITO BRITÂNICO
O corredor ainda estava cortado em Koevering. O 506º Regimento e o 44º Regimento de Tanques do XXX Corpo atacaram, mas graças à sua artilharia, os alemão resistiram ao ataque. A luta para manter o corredor  aberto era dura e o objetivo principal de Market Garden, Arnhem, estiva fora do alcance agora. Os Aliados continuaram os seus ataques. Os americanos atacaram do sul enquanto a 50ª Divisão britânica também lançou um ataque. A maioria dos alemães foi derrotada. O XXX Corpo estava muito atrasado em seu cronograma de avanço.

 

 Dois soldados americanos observam blindados Cromwell do Blindados do XXX Corpo da Guards Armoured Division do 2nd Armoured Recon Battalion dos Welsh Guards cruzar a ponte de Nijmegen na terça-feira, dia 21 de Setembro de 1944

DIA 26 - XXX CORPO DE EXÉRCITO BRITÂNICO

Em 26 de setembro, depois de dois dias, foram eliminadas as forças alemãs e a estrada limpa de minas terrestres. O corredor estava novamente aberto. A partir daquele dia, XXX Corpo já não avançou mais para Arnhem. Nijmegen era agora a nova linha de frente nos Países Baixos. A ponte de Arnhem estava longe demais.

 

  SHERMAN VC "FIREFLY"

Uma bem sucedida conversão da guerra. O Firefly era um tanque Sherman, americano, equipado com o canhão antitanque de 17 Ib. britânico, que não podia ser montado nos carros britânicos padronizados por serem muito pequenos os anéis de suas torretas. O 17 Ib. equiparava-se ao temível 88 mm alemão, exceto a distâncias muito grandes.

Tripulação: Quatro homens.

Peso: 34 3/4 t.

Velocidade:35 km/h (estrada), 25 km/h (em terreno variado).

Comp. total: 7,78 m.

Largura: 1,98 m.

Altura: 2,85 m.

Armamento: Um canhão de 17 Ib. (76,2 mm), com 78 granadas, uma metralhadora de .3 pol., com 5.000 cartuchos, e uma metralhadora de .5, com 500 cartuchos.

Blindagem: 50 mm (frente do casco), 32 mm (lados), 38 mm (traseira), 76 mm (frente da torreia) e 50 mm (lados e traseira da forreta).

Uma característica interessante no Firefly era a prática de algumas de suas tripulações de pintar parte do cano do seu longo canhão de branco ou azul claro, para fazê-lo parecer, à distância, com um Sherman comum, com canhão de 75 mm.

 


ORDEM DE BATALHA - XXX Corps

XXX Corps - Lieutenant General B. G. Horrocks

  • Royal Netherlands Brigade 'Prinses Irene' - (Comd.) Col. Albert "Steve" de Ruyter van Steveninck, (C.O.S.) Major Jonkheer Jan Beelaerts van Blokland 

  • Guards Armoured Division - Major General Allan H. S. Adair, (C.O.S.) Brigadier Norman Gwatkin 

    • Recce (attached to GAD), 2nd Household Cavalry Regiment - Lieutenant Colonel Abel Smith

    • Armoured Recce Regiment, 2nd (Armoured Recce) Battalion, Welsh Guards - Lieutenant Colonel J. C. Windsor-Smith

      Soldado do 3rd Battalion Irish Guards em ação na Holanda em 1944.  Ele está armado com o fuzil Nº4 de .303 e baioneta.

       

    • 5th Guards Armoured Brigade - Brigadier Norman W. Gwatkin

      • 2nd Armoured Battalion Grenadier Guards - Colonel J. N. R. Moore

      • 1st Armoured Battalion Coldstream Guards - Lieutenant Colonel R. F. S. Gooch

      • 2nd Armoured Battalion Irish Guards - Lieutenant Colonel Giles A. M. Vandeleur

      • 1st Motor Battalion Grenadier Guards - Lieutenant Colonel E. H. Goulburn

    • 32nd Guards Brigade - Brigadier J. C. O. Marriott

      • 5th Battalion Coldstream Guards - Lieutenant Colonel E. R. Hill

      • 3rd Battalion Irish Guards - Lieutenant Colonel J. O. E. 'Joe' Vandeleur (prevented from actual command on September 20 by an acute illness)

      • 1st Battalion Welsh Guards - Lieutenant Colonel J. F. Gresham

      • 1st Independent Machine Gun Company Northumbrian Fusiliers - Major R. M. Pratt

    • Artillery - Brigadier H.C. Phips

      • 55th Field Regiment, Royal Artillery - Lieutenant Colonel B. Wilson

      • 21st A.T. Regiment, Royal Artillery - Lieutenant Colonel  C. Hulberts

      • 94th L.A.A. Regiment, Royal Artillery - Lieutenant Colonel E. I. E. Strong

      • 153rd Field Regiment (Leicstershire Yeomanry), Royal Artillery - Lieutenant Colonel  J. S. Atkins

    • Support - Royal Engineers (Lieutenant Colonel C. P. Jones), RASC, REME, RAMC, RAOC, RMP and divisional signals

  • 43rd Wessex Divison - Major General G. Ivor Thomas 

    • 129th Infantry Brigade - Brigadier G. H. L. Mole 

      • 4th Somerset Light Infantry - Lt. Col. C.G. Lipscomb 

      • 5th Wiltshire - Lieutenant Colonel W. G. Roberts 

      • 4th Wiltshire - Lieutenant ColonelE. L. Luce 

    • 130th Infantry Brigade - Brigadier  B .B. (Joe) Walton 

      • 7th Hampshire - Lieutenant Colonel D. E. B. Talbot 

      • 4th Dorset - Lieutenant Colonel Gerald Tilley 

      • 5th Dorset - Lieutenant Colonel B .A. Coad 

    • 214th Infantry Brigade - Brigadier Hubert Essame 

      • 7th Somerset Light Infantry - Lieutenant Colonel H. A. Borradaile 

      • 1st Worcestershire - Lieutenant Colonel R. E. Osborne-Smith 

      • 5th Duke of Cornwall's Light Infantry - Lieutenant Colonel George Taylor

    • Machine Gun Battalion; 8th Middlesex

  • 50th Northumbrian Division - Major General D. A. H. Graham (to VIII Corps 18 September)


 

Free web templates by Nuvio – Our tip: Webdesign, Webhosting