Perfil da Unidade

Merrill's Marauders - Os Incursores de Merrill


Em agosto de 1943 na "Conferência Quebec", o presidente americano Franklin D. Roosevelt, o primeiro-ministro Winston Churchill, e outros líderes aliados decidiram que uma forças aliadas de penetração de longo alcance deveriam ser lançadas atrás das das linhas japonesas na Birmânia, com o objetivo de suas linhas de suprimento e comunicações e o ajudar no esforço de reabrir a estrada tão necessária da Índia para China.

Soldado da 5307ª Unidade Composta (Provisória) "GALAHAD", mais conhecida "MARAUDERS MERRILL"(Incursores de Merrill), em ação na Birmânia em 1944. Ele está armado com o famoso Fuzil Metralhador Browning .30 ( Browning Automatic Rifle - BAR)

 

O presidente Roosevelt emitiu um pedido presidencial "de voluntários de tropas com experiência na selva para uma operação arriscada alhures". Este pedido foi enviado para ao Q-G do General MacArthur no Pacífico Sudoeste, à frente do Pacífico, aos centros de treinamento de guerra na selva , em Trinidad, e a várias Escolas de Infantaria dos EUA. Nenhuma informação a mais foi dada, exceto de que os voluntários precisavam ter "elevado nível de resistência e de vigor físico". Um Memorando da Divisão de Operações (OPD) do Departamento de Guerra datado de 18 de setembro de 1943 (OPD 320.2) listou a composição proposta da nova força de penetração de longo alcance americana que seria uma unidade só de voluntários.

Responderam ao chamado 960 oficiais e soldados com treinamento de selva vindos do Caribbean Defense Command, juntamente com 970 oficiais e soldados com treinamento de selva do Exército, baseados nos EUA, bem como 674 veteranos de combates em selva (Campanhas de Guadalcanal e Ilhas Salomão) vindos do South Pacific Command. O General Douglas MacArthur transferiu 274 voluntários  do veteranos em combate Southwest Pacific Command, veteranos das Campanhas de Nova Guiné e Bougainville. Alguns dos veteranos do Pacífico estavam presos e lhes foi oferecida a liberdade para se juntarem a nova unidade. Eles foram espalhados por toda a unidade.

A unidade foi designada oficialmente como 5307ª Unidade Composta (Provisória) "GALAHAD", e mais tarde tornou-se  popularmente conhecida como "MARAUDERS MERRILL"(Incursores de Merrill) em homenagem ao seu comandante,  General-de-Brigada  Frank Merrill.

Os homens foram enviados primeiro para Índia chegando em Bombaim  no dia 31 de outubro de 1943 para treinamento. Aqui eles foram reforçados com pessoal do Corpo Aéreo e do Corpo de Sinaleiros, como também com uma companhia de transporte animal com mulas e experientes guias de mulas.

A unidade tinha 700 animais que incluíam 360 mulas. O número de animais devia ser maior, mas o navio que trazia esses animais foi torpedeado. Esses animais foram substituídos por 360 Walers australianos que tinham estado originalmente com a 112ª de Cavalaria na Nova Caledônia e que foi julgado impróprio para guerra de selva. Esses animais foram enviados para Índia onde eles serviram com o Exército chinês antes de serem enviados ao 5307th.

Os oficiais e soldados receberam uniformes de algodão, calça de campo Tipo II, botas de selva, manta, poncho, um machado ou kukri. Suas armas eram o rifle Garand M1 de .30-06, o rifle sniper M1903A4 .30-06, a carabina M1 .30, a submetralhadora Thompson .45, a pistola M1911 .45 e o fuzil-metralhador BAR .30-06. A parte este conjunto normal de armas o grupamento de combate levava quatro morteiros de 81 mm, quatro morteiros M2 de 60 mm, duas metralhadoras pesadas .50, duas leves .30 e três lança-rojão "bazooka" de 2,56. Para dar-lhe mobilidade na selva e em terreno muito difícil, o regimento recebia duas tropas de 700 mulas e cavalos. Mas a grande mobilidade estratégica que a unidade "Galahad" viria a demonstrar nas suas operações nos flancos e na retaguarda dos japoneses devia-se a seu excelente sistema de abastecimento aéreo.

A primeira expedição CHINDIT, de Wingate, mostrara a praticabilidade do abastecimento pelo ar em plena selva e a grande liberdade estratégica que isto podia dar às tropas de terra. Por isso, a "Galahad" tinha sua própria seção de abastecimento aéreo, dirigida pelo Major Edward T. Hancock, que estabeleceu sua base em alguns armazéns, feitos de bambu, em Dinjan, a 51 km a oeste de Ledo. Esses suprimentos eram acondicionados em unidades-padrão de abastecimento para um dia e despachados o mais depressa possível após o recebimento do pedido.

O Major Hancock trabalhava em estreita cooperação com o V Esquadrão de Transporte de Tropas, cujos aviões saiam, quaisquer que fossem as condições de tempo, para lançar munição inclusive à noite, desde que necessário, enfrentando sempre pesado fogo antiaéreo japonês. Ele jamais deixou de satisfazer os pedidos das tropas de terra, agindo com incrível rapidez mal recebia qualquer pedido pelo rádio. 

Soldados de Merrill patrulha na selva birmanesa

O 5307º foi destinado para treinar táticas de penetração de longo alcance sob o comando do Brigadeiro Charles Orde Wingate, comandante dos Chindits. Em Deolali, a 200 km de Bombay, as tropas foram submetidas a duros treinamento físicos para colocá-los em condições de combate, depois foram para para Deogarh, na Índia.

De final de novembro de 1943 até o fim de janeiro de 1944 o 5307º permaneceu em Deogarh onde treinou intensivamente. O 5307º realizou uma manobra em plena selva ao lado dos Chindits dezembro de 1943. Todos os oficiais e soldados receberam instrução para realizarem patrulhas e reconhecimento, cruzamentos de rios, uso de armas, navegação, demolições, camuflagem, ataque de pequenas unidas a entrincheiramentos, evacuação de pessoal ferido, e técnicas de ressuprimento por via aérea usando-se pára-quedas. Foi colocada ênfase especial na marcação de alvos usando-se armas de pequeno calibre.

Os Incursores não tinham tanques ou artilharia pesada para apoiá-los. A princípio a idéia era destacar os Incursores para servirem junto aos Chindits sob o comando de Orde Wingate, mas diante da pressão do General Stilwell, do Exército americano, de que as únicas tropas de combate dos EUA presentes naquela região deviam servir sob seu comando e não dos britânicos, eles foram deslocados para o seu comando, em apoio ao avanço das forças chinesas, treinadas e comandadas por ele, no norte da Birmânia. "Vinagre Joe" Stilwell, chamava os Incursores  de sua "cavalaria a pé" e os usava como tal.

Sua tarefa era, freqüentemente, flanquear os japoneses, muitas vezes colocando obstáculos, nas estradas, encorajando assim as divisões chinesas, mais cautelosas, a atacar seus inimigos, sempre menos numerosos, e repeli-los, se possível, para além dos obstáculos colocados pêlos Incursores. Este trabalho exigia do grupamento, antes de mais nada, muita coragem, pois o perigo estava presente em todas as fases de seu desenvolvimento, feito de longas marchas pela selva, flanqueando a renomada 18a Divisão japonesa, os "Vencedores de Cingapura", e, depois de extenuante deslocamento, agravado pela escassez de rações, tinham de ter a necessária determinação e força de vontade para levar a cabo as ambiciosas ordens do General Stilwell, no sentido de que se entrincheirassem sobre as linhas de comunicações japonesas, sem proteção de alambrado mas em estreito contato com a formidável e perversa infantaria nipônica, onde ficariam à espera dos vagarosos chineses.

No início de 1944, os Marauders foram organizados como uma unidade de assalto de infantaria leve, com transporte de mula para os seus morteiros de 60 mm, bazucas, munição, equipamentos de comunicações, e materiais. Embora os três batalhões do 5307º fossem equivalentes a uma unidade de tamanho de um regimento, a falta de apoio orgânico de armas pesadas significava que a força tinha um poder de combate menor que a de um único batalhão regular de infantaria americano, um fato que o General Stilwell e o pessoal do NCAC nem sempre deram atenção. Sem armas pesadas de apóio, a unidade teria que confiar em sua flexibilidade e surpreender as forças japonesas consideravelmente maiores.

O peso das cargas era algo crítico para os Marauders, por isso a necessidade de uma ração de campo compacta e leve; infelizmente, a melhor solução, a ração seca para Selva com 4.000 calorias por dia, tinha sido descontinuada por razões de custo em 1943. No conselho de oficiais de provisão do Exército em Washington, o General Stilwell e o seu G-4 determinaram que a quantidade de calorias dia dos soldados seria de 2.830 através da ração K do Exército americano, e que isto seria suficiente para manter os Marauders no campo.

Sob o comando de Orde Wingate, a força foi organizada em três batalhões, cada um deles dividido em dois grupamentos de combate, embora carecessem das armas pesadas com que em geral eram essas unidades americanas equipadas.

Os próprios grupamentos de combate eram identificados pelas cores:

  • 1º Batalhão, comandado pelo Tenente-Coronel William Osborne, consistia dos Grupamentos de Combate Vermelho e Branco;

  • 2º Batalhão, sob o Tenente-Coronel George McGee, era formado pêlos Grupamentos Azul e Verde;

  • 3° Batalhão, comandado pelo Tenente-Coronel Charles Beach, consistia dos Grupamentos Caqui e Laranja.

Cada grupamento de combate se compunha de 16 oficiais e 456 homens, organizados da seguinte maneira: uma companhia de fuzileiros (de três pelotões de fuzileiros e uma seção de petrechos pesados), um pelotão de petrechos pesados, um pelotão de sapadores e demolição, um pelotão de inteligência e reconhecimento (normalmente chamado pelotão "I" e "R"), e um destacamento médico.

soldado

Os soldados da 5307ª tinham que levar uma grande quantidade de suprimentos em suas costas, mesmo contando com a ajuda de mulas. Este soldado armado com um fuzil sniper M1903A4 Springfield, com uma mira telescópica M73B1, usa um capacete M1, cinturão com bolsas para munição e cantil padrão, além de carregar pela selva sua pesada mochila com toda sorte de equipamento.

 

No dia 24 de fevereiro de 1944, a força começou uma marcha de 1.000 milhas marcha em direção a região de Patkai e para a selva birmanesa tendo como objetivo se colocar atrás das linhas japonesas. Um total de 2.750 Marauders entraram na Birmânia; Cerca de 247 homens permaneceram na Índia como pessoal de apoio e do QG.

Na Birmânia, os Marauders foram sem superados numericamente pelas tropas japonesas da 18ª divisão, mas sempre infligiram muitas mais baixas do que eles sofreram. Conduzido por exploradores Kachin, e usando a mobilidade e a surpresa, os Marauders atacavam implacavelmente as linhas de suprimento e comunicação do inimigo, emboscavam patrulhas, e assaltavam áreas na retaguarda japonesa, em um caso eles cortaram a retaguarda japonesa em Maingkwan, próximo a Walawbum, uma cidade onde o 3º Batalhão lutou magnificamente, matando uns 400-500 soldados inimigos. Os japoneses eram continuamente surpreendidos pelo volume pesado e preciso do fogo que eles recebiam ao terem suas posições atacadas pelos Marauder. Seus oficiais experimentados tinham integrado o fogo do morteiro leve cuidadosamente com o fogo das metralhadoras, e virtualmente quase todo homem estava armado com arma automática na qual ele tinha treinado para marcar os alvos para sua "artilharia". Em março de 1944 eles cortaram as linhas de provisão japonesas no Vale de Hukawng.

Informado pelos britânicos de que a situação em Imphal estava sob controle, Stilwell quis lançar um assalto final para capturar a base japonesa em Myitkyina. Sempre aguardando uma potencial interferência britânica, o General Stilwell não coordenou os seus planos com os do Almirante Mountbatten, transmitindo então ordens separadas às suas forças chinesas e aos Marauders. Quando começou uma série de batalhas por Myitkyina o 5307º tinha 2.200 oficias e soldados.

Em abril, os Marauders receberam ordens de Stilwell para assumirem uma posição de bloqueio em Nhpum Ga e segurar esta posição contra os ataques japoneses, em uma ação defensiva convencional para a qual a unidade não tinha sido equipada. Às vezes os quase cercados os Marauders coordenavam o fogo de seus próprios batalhões em apoio mútuo para quebrar o assédio inimigo depois de uma série de assaltos ferozes por forças japonesas. Em Nhpum Ga, os Marauders mataram 400 soldados japoneses, enquanto sofreram 57 mortos em ação, 302 feridos, e 379 incapacitado devido a doença e esgotamento. Setenta e cinco das duzentas mulas da unidade foram mortas por fogo de artilharia e morteiro. Uma erupção simultânea de disenteria (contraída depois da união com as tropas chinesas), mais adiante veio a reduziu a força efetiva deles. Embora os Marauders tenham evitado perdas previamente desta doença mortal (em parte pelo uso de tabletes de halizone e os procedimentos básicos do serviço de saúde pública fossem sempre rígidos), o acampamento deles com infantaria chinesa, que usava os rios como latrinas alastrou a doença (não foram seriamente afetadas as tropas chinesas que sempre ferveram a água que bebiam). A cada momento os Marauders ficavam mais debilitados, submetidos a uma única ração K por dia, doentes, sob fortes chuvas e constantemente atacados pelos japoneses.

Myitkyina e o Fim

No dia 17 de maio de 1944, depois de uma dura marcha de 65 milhas pela Montanha Kumon (usando mulas para levar suprimetos) em direção a Myitkyina, aproximadamente 1.300 Marauders cansados, juntamente com elementos dos 42º e 150º Regimentos de Infantaria chinesa, atacaram os surpresos japoneses que estavam no aeródromo de Myitkyina. O assalto ao aeródromo no dia 17 de maio de 1944 foi um sucesso completo; porém, a cidade de Myitkyina não pôde ser tomada imediatamente com as forças disponível. Um assalto inicial por elementos de dois regimentos chineses foi repelido com grandes perdas. A inteligência militar do NCAC tinha subestimado a força japonesa na cidade que tinha sido reforçada continuamente e agora possuia uma guarnição de uns 4.600 defensores japoneses bem armados e fanáticos. Agora o já bastante debilitado 5307º teve que continuar lutando mesmo em plana estação de monção, enquanto piorava a sua situação; também aconteceu que a área ao redor de Myitkyina teve uma grande incidência de tifo e algum Marauders contraíram a doença depois de dormir em áreas infetadas. Atormentados pela disenteria sangrenta e febres, dormindo na lama, os Marauders alternadamente atacavam e se defendiam em uma gangorra brutal de ações de infantaria convencional contra as forças japonesas. Depois que reforços da divisão de exército chinesa chegaram por via aérea, a cidade caiu finalmente para os Aliados no dia 3 de agosto de 1944. O comandante japonês escapou com aproximadamente 600 dos seus homens; Foram capturados 187 soldados japoneses, e o resto, uns 3.800 homens, morreu em combate.

Soldados japoneses representantes das 18ª, 33ª e 55ª divisões em operação na Birmânia

Quando os Incursores atacaram Myitkyina eles já tinham percorrido cerca de 800 milhas sobre a selva, as estradas e as trilhas de montanha da Birmânia. Na maioria das vezes tiveram que carregar todo o seu equipamento nas costas ou nos lombos de  mulas. O abastecimento pelo ar, feito através de pára-quedas exigia que os Incursores freqüentemente tivessem que abrir clareiras na selva fechada, usando machadas e facões. Cada Incursor ferido foi evacuado, um feito extraordinário. O ferido era levado em uma maca improvisada (feita geralmente de bambu e revestida com pedaços de camisa) por seus camaradas até um ponto de evacuação. Estes pontos de evacuação geralmente era pequenas vilas na selva, onde o Incursor teria que esperar por um avião  Piper L-4. No fim da sua campanha os Incursores restante na ação foram evacuados para hospitais já que todos sofriam de doenças tropicais, exaustão, e  subnutrição.

O ataque Myitkyina foi realmente um dura prova para os Incursores depois de quase cinco meses de marchas e combates nas selvas birmanesas. Nenhuma outra força americana exceto a 1ª Divisão do Corpo de Fuzileiros, que lutou em Guadalcanal por quatro meses, passou tanto tempo em serviço de combate na selva sem interrupções  quanto Incursores de Merrill. Mas nenhuma outra força americana em qualquer campanha da 2ª Guerra tinha marchado tão distante, lutado tão continuamente ou demonstrado tal resistência, como os Incursores de Merrill.

A conseqüência mais imediata da captura de Myitkyina foi um grande aumento na entrega de suprimentos por via aérea à China, porque, à medida que a luta se dirigia mais para o sul, tornava-se mais seguro usar as rotas aéreas mais baixas, mais ao sul, para a China. Além disso, o Comando de Transporte Aéreo começou a receber mais aviões para o tráfego sobre o Himalaia. A combinação desses dois fatores resultou em sensível aumento no volume de suprimentos entregues à China. As 13.686 toneladas levadas para Yunnan em maio subiram para 39.000 toneladas em novembro de 1944. Além do mais, a captura da área Mogaung-Myitkyina, no norte da Birmânia, fez dela, assim que a rodovia e o oleoduto de Ledo, chegaram até lá, uma grande base de abastecimento próximo da fronteira chinesa, ale do fato de servir de trampolim para a captura de Lashio e para o avanço pela China culminando com a reabertura da estrada da Birmânia, verificada a 27 de janeiro de 1945. 

Na sua última missão os Marauders sofreram 272 mortes, 955 feridos, e 980 foram evacuados devido a doenças; alguns homens morreram depois de malária cerebral, disenteria e outras doenças tropicais. Entre as vítimas estava incluíram o próprio General Merrill, que tinha sofrido um segundo ataque do coração antes de cair com malária. Ele foi substituído pelo seu segundo-em-comando, Coronel Charles N. Hunter que depois preparou um relatório severo sobre a política de evacuação médica de do General Stilwell (incitando uma posterior investigação do Army Inspector General e audições no Congresso americano). Até que a cidade de Myitkyina fosse tomada, somente 200 membros sobreviventes dos Marauders originais estavam presentes. Uma semana depois que Myitkyina caiu, no dia 10 de agosto de 1944, o 5307º foi licenciado com um total final de 130 oficiais e soldados em condições efetivas de combate (o original era de 2.997). Dos 2.50 que entraram na Birmânia, somente 2 nunca foram hospitalizados com ferimentos ou doença.

A 5307ª - Unidade Composta (Provisória), os Incursores de Merrill - foi desativada a 10 de agosto de 1944, mas imediatamente reorganizada, integrando o 475º Regimento de Infantaria, que continha os remanescentes do 1° Batalhão, do Tenente-Coronel Osborne, da 5307ª. Como Regimento de Infantaria, ele lutou com o 124ª de Cavalaria, como parte da Força Marte que reabriu a estrada da Birmânia e, como tal, foi novamente debandado em julho de 1945. Mas em 21 de junho de 1954 o 475ª Regimento foi novamente reorganizado, com a denominação de 75º Regimento de Infantaria do Exército Regular dos Estados Unidos. O moderno 75º Regimento Ranger dos EUA tem a sua origem nesta unidade. O comandante do 2º batalhão dos Marauders, Coronel George McGee foi introduzido no Hall da Fama dos Rangers por valor extraordinário e serviço exemplar.
 

Em 2001 os Rangers adotaram a boina marron, como novos "flashes" que representam as seis cores adotadas pelos Grupamentos de Combate dos Merrill's Marauders (branco, verde, azul, laranja, caqui e vermelho). Cada linha vermelha que aparece nos lados representa um dos três batalhões Rangers. As cores do escudo (azul, branco, vermelho e verde) representam as quatro equipes de combate originais da  5307ª Unidade Composta (Provisória) "GALAHAD", que mais tarde tornou-se popularmente conhecida como "MARAUDER'S MERRILL" (Incursores de Merrill)

Conclusão

O plano de Stilwell para a Galahad era bem diferente daqueles preparados por Wingate. Como parte do plano de Stilwell, os objetivos da Galahad não eram tão profundos na selva quanto os dados aos Chindits (pelo menos inicialmente) e esses objetivos deviam está mais perto do avanço do Primeiro Exército chinês de Stilwell e se os movimentos dos Marauders deviam ser coordenados com os do chineses. Em essência, Stilwell enviava a Galahad para realizar uma série de operações de envolvimento profundas, onde o 5307º marchava secretamente ao redor de um flanco dos japoneses e estabelecia barreiras diretamente sobre a única estrada principal dentro da retaguarda do inimigo, porém perto o bastante para os defensores avançados se sentirem ameaçado. O plano pedia que os primeiros bloqueios deviam ser estabelecidos em Walawbum dentro do vale de Hukawng e os segundos bloqueios próximos a Shaduzup no vale de Mogaung. A terceira missão da Galahad foi ataque surpresa contra o aeródromo a Myitkyina. Em todos os três casos, uma vez que a Galahad estava em posição, Stilwell empurrava as sempre morosas divisões chinesas contra os japonês, os forçando a dividir sua atenção entre as duas forças atacantes. Ao mesmo tempo que a Galahad e o Primeiro Exército chinês jogavam este jogo de martelo e bigorna, Stilwell e Slim esperavam que as operações das forças speciais (Chindits e Marauders) se degradassem severamente.

Em cinco grandes engajamentos (WALAWBUM, SHADUZUP, INKANGAHTAWNG, NHPUM GA, & MYITKYINA) e em trinta e cinco outros menores, eles derrotaram os soldados japoneses,  incluindo duas batalhas defensivas convencionais para as quais o 5307 não tinha força suficiente e nem equipamento adequado. Seus soldados lutaram contra os japoneses mas lutaram também contra a fome, ferimentos e doenças, eles atravessaram mais terreno de selva nas suas missões de longo alcance que qualquer outra formação de Exército norte-americana durante a Segunda Guerra Mundial. Sempre movendo-se na retaguarda inimiga os Incursores romperam completamente as linhas de comunicação, e alcançaram o clímax de sua campanha na desgastante captura do aeródromo de Myitkyina, o único aeródromo para qualquer tempo em operação no norte da Birmânia. 

Os soldados chineses do Primeiro Exército chinês de Stilwell eram extremamente vagarosos em seu avanço para o centro da Birmânia e pouco eficientes em combate. Este combatente usa uma mistura de equipamentos americanos e britânicos, e itens chineses, como os calçados.

A área onde a Galahad e os Chindits operaram era um mosaico de colinas ásperas, serra de cumes dentados, montanhas altas, e vales nocivos, atravessados por muitos rios pequenos e grandes limitados por selva tropical fechada. Poucos caminhos e trilhas existiam, e os mapas se provaram freqüentemente incertos. A selva possuía grandes bambuzais, as vezes tão grossos que um túnel, em vez de um caminho, teve que ser cortado para que as colunas atravessarem.

Devido aos numerosos rios, os Chindits fizeram centenas de cruzamentos de rio, e quando emergiam da água invariavelmente estavam cheios de sanguessugas. Durante a estação da monção, a área se tornava quase intransitável.

O chão ficava completamente coberto de água e lama e as montanhas cobertas de barro onde os homens tinham que rastejar para cima. A umidade alta, a chuva constante, e temperaturas altas nutriram muitas doenças. Além disso, os mosquitos infestavam a área levavam muitas doenças como a malária e tifo. Operar neste ambiente requereria os níveis mais altos de resistência física e mental diariamente.

O comentário final deve, por uma questão de justiça, caber à "Citação de Unidade Distinguida" que lhe foi concedida a 4 de Agosto de 1944: "A 5307ª _ Unidade Composta (Provisória) _ foi a primeira força de combate de terra dos Estados Unidos a enfrentar o inimigo, na Segunda Guerra Mundial, no continente asiático. Após uma série de combates bem sucedidos nos vales do Hukawng e do Mogaung, no norte da Birmânia, em março e abril de 1944, a unidade foi chamada a liderar uma marcha, por trilhas abertas na selva, através de terreno montanhoso, contra tenaz resistência, num ataque a Myitkyina.

A unidade mostrou-se à altura da gigantesca tarefa que lhe foi confiada, superou todos os obstáculos que o tempo e o inimigo lhe puseram no caminho e, após uma brilhante operação a 17 de maio de 1944, tomou o aeródromo em Myitkyina, um objetivo de grande importância tática na campanha, e ajudou na captura de Myitkyina, feita a 3 de agosto de 1944. O sucesso conquistado nesta missão distingue a 5307' — Unidade Composta (Provisória) _ como notável força de combate e abre grande crédito às Armas Aliadas".  Em 1966 a "Citação de Unidade Distinguida" foi modificada para "Citação Presidencial da Unidade" que é concedida pelo Presidente dos EUA em nome do congresso. 

FRANK MERRILL

Nasceu em 4 de dezembro de 1903 nos EUA. Ingressara no exército, como soldado, aos 18 anos de idade, tendo sido por seis vezes consecutivas aprovado no difícil concurso da Academia de West Point, ao fim dos quais o exército decidiu ignorar sua miopia e aceitá-lo como aluno da famosa escola de formação de oficiais. Após sua formatura, em 1929, serviu durante algum tempo em regimentos de cavalaria, ingressando depois no Instituto de Tecnologia de Massachusetts, onde se formou Bacharel em Ciências.

A dedicação e o interesse que demonstrou pela profissão destacaram-no co­mo homem de marcadas potencialidades. Em 1938, foi nomeado Assistente do Adido Militar em Tóquio, onde adquiriu bom conhecimento da língua japonesa e passou muito tempo com o exército nipônico em manobras, familiarizando-se com seus méto­dos de operar, tornando-se também conheci­do do corpo de oficiais. Quando os japoneses atacaram Pear! Harbor, Merrill estava voando das Filipinas para Rangum e permaneceu na capital da Birmânia até juntar-se a Stilwell, em março de 1942, acompanhando-o, posteriormente, na sua famosa caminhada para fora da Birmânia, quando da retirada. Nessa época, era major, devendo-se sua rápida ascensão à eficiência por ele demonstrada quando G3 de Stilwell no Q-G da Frente do CBI (China-Birmânia-Índia).

Nos dezoito meses seguintes, Merrill continuou auxiliando Stilwell, passando do posto de major para general. No inicio de janeiro de  1944, recebeu o comando dos Incursores. Nos meses que se seguiram, Merrill e seus homens estiveram constantemente em ação. No entanto, a tensão resultante da guerra nas selvas debilitou a saúde de Merrill e, no final de março, ele sofreu o primeiro de uma série de ataques cardíacos. Depois de voltar para os Incursores, no final de abril, Merrill liderou-os em seu último combate na guerra, a batalha de Myitkyina. Em 1945 Merrill se tornou Chefe de Pessoal no 10º Exército em Okinawa. Em 1947 trabalhou no grupo consultivo militar americano à República das Filipinas. Aposentou do exército em 1948 com o posto de Major-General. Depois da  aposentadoria do Exército, Merrill voltou para New Hampshire com sua esposa e os dois filhos e tornou-se Comissário de Rodovia de New Hampshire. Faleceu em 11 de dezembro de 1955 com cinqüenta e dois anos em conseqüência dos problemas de saúde advindos da dura campanha na Birmânia.

Armas usadas pelos Incursores de Merrill:

Submetralhadora Thompson M1

Famosa graças aos gangsters e o cinema americano, a Thompson era uma arma refinada, com coronha e empunhadura de madeira. Utilizada durante a 2ª guerra pelo exército americano e seus aliados, com modificações para facilitar sua produção, incluindo a substituição do complicado (e sujeito a falhas) carregador de tambor, por um carregador reto convencional (modelo M1A1).

Modelo: M1A1

Calibre: 11,43 mm (.45)

Comprimento: 813 mm (total) / 267 mm (cano)

Peso: 4,74 Kg (com carregador)

Carregador: Pente com 20 ou 30 cartuchos

Cadência de Tiro: 700 tpm

Velocidade Inicial do Projétil: 280 m/s

Carabina M1

Calibre: .30 M1 ou .30 Carbine

Sistema de Operação: A gás, com ferrolho rotativo

Regime de Fogo: Semi-Automático

Peso: 2,7 kgs com carregador de 15 cartuchos

Capacidade: 5,15 e 30 cartuchos

Comprimento Total: 905 mm

 

Fuzil Garand M1

Garand - Fuzil semi-automático desenvolvido em 1936 nos Estados Unidos, equipando toda sua infantaria, a exceção de um homem em cada esquadra, que usava um fuzil de ferrolho para tiro de precisão, desta forma a infantaria americana foi a única totalmente equipada com uma arma semi-automática durante a guerra. O general Patton disse sobre o Garand: ele foi "a maior ferramenta de combate jamais desenhada".

Modelo: M1

Calibre: 7,62 x 63 mm

Alimentação: clipe de oito cartuchos, era impossível alimentação individual de cartuchos

Velocidade inicial: 822,96 m/s

Comprimento total: 109,22 cm

Comprimento do cano: 60,96

Peso: 4,3 kg

Miras: de abertura ajustável, 100 a 1200 jardas

Método de operação: recuperação a gás

Tipo de fogo: tiro a tiro

Metralhadora Bronwning .30 M1919

Calibre: .30-06 (7, 62 x 63)

Principio de Funcionamento: Curto recuo do cano

Funcionamento: Automático

Peso:14,07 kgs

Carregador : Tipo fita de lona

Capacidade: 100 ou 250 cartuchos

Comprimento Total: 1,036 m

Cadência de Tiro: 250 tiros por minuto

Alcance Útil: 540m

Pistola Colt .45 M1911

Uma das armas mais produzidas no mundo, chegando a casa dos milhões de unidades. Planejada para atender a necessidade de derrubar os guerreiros filipinos que, durante as operações militares dos Estados Unidos na região (final do séc. 19), continuavam a atacar, mesmo após atingidos. Teve sua fabricação iniciada pela Colt em 1911 prosseguindo, no mundo todo, por várias empresas (licenciadas ou cópias) até a década de 80. Embora de difícil manuseio, pois era grande, pesada e com um forte recuo, era muito apreciada pela sua robustez e potência.

Modelo: 1911A1

Calibre: 11,43 mm (.45 M1911)

Comprimento: 216 mm (total) / 127 mm (cano)

Peso: 1,36 Kg

Carregador: Pente com 7 cartuchos

Velocidade Inicial do Projétil: 262 m/s.

Lança-Rojão 2.36 pol. M9A1

Calibre: 2.36 pol. ou 60mm

Funcionamento: Repetição.

Principio de funcionamento: Ação de uma corrente elétrica, sobre o rojão.

Peso: 6,800 kgs.

Comprimento Total: 1,549 m

Alcance Útil: 270 m

Fonte de Energia: Magneto colocado no punho

Aparelho de Pontaria: Visor fixor, graduado de 0 a 600 jardas

 

Fuzil Metralhador Browning .30 ( Browning Automatic Rifle -BAR)

Calibre: .30-06 (7, 62 x 63)

Sistema de Operação: A gás, com ferrolho aberto

Regime do Fogo: Semi-automático

Peso: 8,72 kg.

Capacidade: carregador com 20 cartuchos

Cadência de Tiro: 550 tiros por minuto

Comprimento Total: 149,8cm

 

BIRMÂNIA

Após a invasão japonesa na Birmânia, em janeiro de 1942, e a retirada dos aliados para a fronteira nordeste da índia, a principal missão destes últimos consistia em reabrir a rota de abastecimento por terra através do norte da Birmânia para a China. A primeira contra-ofensiva ocorreu no Arakan, no final de 1942, e redundou em fracasso. Entretanto, um ataque de infiltração profunda por parte dos Chindits do major-general Orde Wingate, alguns meses mais tarde, foi um estrondoso sucesso. O desempenho dos Chindits reacendeu os planos dos aliados para a reconquista do norte da Birmânia. Wingate propôs que suas tropas penetrassem em território capturado pelo inimigo, para estabelecer uma série de posições fortificadas, que pudessem ser reabastecidas pelo ar. Os Chindits, então, poderiam lançar ataques contra estradas de ferro, aeroportos e comboios japoneses. Wingate sugeriu que um grupo de combate dos EUA deveria dar suporte à campanha dos Chindits. Essa força, que viria a se transformar nos Incursores, ficaria sob o comando do tenente-general Joseph "Vinegar Joe" Stilwell, o oficial encarregado das tropas chinesas que operavam ao longo da fronteira birmanesa. Em outubro, alguns dos soldados chineses de Stilwell abriram a ofensiva contra os japoneses no norte da Birmânia, e, em janeiro de 1944, os Incursores saíram para seu primeiro ataque de infiltração.


O que você achou desta página? Dê a sua opinião, ela é importante para nós.

Assunto: Merrill's Marauders