Marechal Montgomery - LÍDERES



Montgomery nasceu em Kennington, Londres, em 1887, o quarto de nove filhos do reverendo anglo-irlandês Henry Hutchinson Montgomery e de Maud Montgomery. Quando ele nasceu seu pai era o Vigário de São Marcos, Kennington, e seu avô foi um notável administrador na Índia, chamado Sir Robert Montgomery, que morreu um mês após o nascimento de Bernard. Sua mãe, Maud era filha do conhecido pregador Frederic William Farrar, e era 18 anos mais nova que seu marido. Após a morte de Sir Robert Montgomery, Henry herdou a propriedade do seu pai em New Park em Moville, uma cidade irlandesa no norte do condado de Donegal, no oeste de Ulster.

No entanto, ainda havia 13.000 libras esterlinas de hipoteca para pagar, uma grande quantidade de dinheiro na década de 1880, e Henry naquele tempo ainda era apenas uma mera pároco. Apesar de vender todas as fazendas que estavam em Ballynally, havia apenas o suficiente para manter-se em New Park e pagar as férias de verão em New Park mesmo.

Foi um alívio financeiro de alguma magnitude quando Henry Montgomery em 1889 foi feito bispo de Tasmânia, uma ilha da Austrália. Ele considerou seu dever gastar tanto tempo quanto possível naquele lugar remoto e ficava afastado de sua família por vários meses fazendo o seu trabalho. Enquanto ele estava longe de casa sua jovem esposa, aplicava a seus filhos constante surras, e na maior parte do tempo ignorava as suas obrigações públicas como esposa de um bispo. De seus irmãos, Sibyl iria morrer prematuramente na Tasmânia, e Harold, Donald e Una voltaram para a Inglaterra. Na ausência de seu marido, Maud Montgomery tinha pouco interesse na participação da educação de seus filhos pequenos. Bernard sempre foi resistente a autoridade, e criou uma verdadeira aversão por sua mãe. Na vida adulta Montgomery recusou-se a permitir que seu filho David tivesse contatos com sua avó e ele se recusou a participar de seu funeral, em 1949. Mas Montgomery nutria por seu pai uma forte admiração e respeito. Porém o ambiente sem amor fez de Bernard um tipo de valentão, como ele mesmo recordou mais tarde.

Em 1901, Bishop Montgomery tornou-se secretário da Sociedade para a Propagação do Evangelho, e a família retornou a Londres. Neste ano Montgomery foi para a Escola de São Paulo e depois para a famosa Royal Military Academy, em Sandhurst, onde ele quase foi expulso por atear fogo na manga da camisa de cadete durante uma briga. Tanto na escola quanto na academia Montgomery era dado a brincadeiras violentas, mas este último episódio fez com que ele atentasse para suas atitudes, pois se assim não fosse sua carreira militar seria bem curta, e então decidiu se dedicar com afinco aos estudos e mudar de postura quanto as brincadeiras. Na graduação, ele juntou-se ao 1 º Batalhão do Royal Warwickshire Regiment, em setembro de 1908 como segundo-tenente, indo servir na Índia até 1913. Ele foi promovido a tenente, em 1910.

Primeira Guerra Mundial
A Primeira Guerra Mundial começou em agosto de 1914 e Montgomery foi enviado para a França com seu regimento daquele mês. Ele lutou durante a retirada de Mons, na qual metade do seu batalhão foi destruído. Em Meteren, perto da fronteira belga em Bailleul, em 13 de outubro de 1914, durante uma contra-ofensiva dos Aliados, ele foi baleado através no pulmão direito por um franco-atirador. Um sargento veio em seu socorro mas foi morto, caindo com seu corpo sobre Montgomery. O atirador alemão disparou contra Montgomery até o pôr do sol. O corpo do sargento morto o protegeu da maioria dos disparos. Mas ele foi atingido no joelho. Seu ferimento foi grave o suficiente para que uma cova fosse aberta em preparação da sua morte. Ele foi condecorado com a Ordem de Serviços Distintos por sua liderança em combate. A citação para esta condecoração, foi publicada na London Gazette.

 

O jovem capitão Bernard Montgomery, com 27 anos, durante a Primeira Guerra Mundial.

Depois de se recuperar em fins de 1915, ele foi promovido a Major-brigadeiro e ficou responsável treinamento de novos recrutas. No Exército britânico este posto era destinado ao Chefe de Gabinete de uma brigada. Na Primeira Guerra era também o responsável pelo planejamento das operações da brigada.

Ele volta para a Frente Ocidental em 1916, como um dos oficiais do staff de planejamento durante as batalhas de Somme, Arras, e Passchendaele. Durante esse tempo ele serviu no IX Corpo, que era parte do Segundo Exército do General Sir Herbert Plumer. Através de seu treinamento, e a integração da infantaria com artilharia e os engenheiros, as tropas de Plumer foram capazes de alcançar seus objetivos de forma eficiente e sem baixas desnecessárias.

Montgomery lutou nas batalhas de Lys e Chemin-des-Dames antes de terminar a guerra como Diretor Geral de Pessoal 1 e efetivamente chefe de equipe da 47º (2ª Londres) Divisão, com a patente temporária do tenente-coronel.

Entre as guerras
Após a Primeira Guerra Mundial Bernard Montgomery comandou o 17º Batalhão de Fuzileiros Reais, um batalhão do Exército britânico no Reno, antes de voltar a seu posto de capitão em novembro de 1919. Em 1920 seguida, foi para a Escola de Estado-Maior (Staff College), em Camberley, antes de ser promovido a Major-brigadeiro da 17ª Brigada de Infantaria, em janeiro de 1921. A sua brigada foi postada em County Cork durante a Guerra da Independência da Irlanda. Um primo de Montgomery, Tenente-coronel Hugh Montgomery, tinha sido assassinado pelo IRA em 1920. Montgomery chegou à conclusão de que o conflito não poderia ser ganho sem medidas duras, e que o autogoverno era a única solução viável.

Em 1923, Montgomery foi enviado para 49ª Divisão do Exército Territorial Divisão 49. Ele voltou para o 1 º Batalhão do Royal Warwickshire Regiment em 1925 como comandante de companhia, no posto de capitão. Em janeiro de 1926 tendo sido promovido a major em 1925, foi nomeado instrutor na Escola de Estado-Maior em Camberley, com o posto temporário de tenente-coronel, uma posição que ocupou até janeiro de 1929.

Montgomery se tornou conhecido na década de 1920 como um talentoso instrutor e comandante. Ele lia sistematicamente e cuidadosamente, absorvendo tudo sobre história militar, especialmente sobre Napoleão e a sua capacidade de construir e manter elevado o moral de suas tropas. Montgomery se dedicou com afinco a este objetivo, se tornado uma “marca registrada” sua.

Em 1927, ele conheceu e se casou com Elizabeth Carver, viúva de Oswald Carver, medalhista olímpico de remo, que foi morto na Primeira Guerra Mundial. Seu único filho, David Montgomery, nasceu em agosto de 1928. Elizabeth Carver era a irmã do comandante Percy Hobart.

Em 1931, Montgomery tornou-se tenente-coronel e recebeu o comando do 1º Batalhão do Royal Warwickshire Regiment e serviu na Palestina, Egito e Índia. Ele foi promovido a coronel em 1934 e tornou-se instrutor na Indian Army Staff College, em Quetta, na Índia. Como era de costume, Montgomery manteve ligações com o Warwickshires Royal e foi mais tarde assumiu o posto honorário de coronel-de-Regiment em 1947.

Na conclusão de seu período na Índia, Montgomery voltou à Grã-Bretanha em junho de 1937 onde se tornou comandante da 9ª Brigada de Infantaria, com o posto temporário de brigadeiro. Infelizmente neste ano a sua esposa foi picada por um inseto, enquanto estava de férias em Burnham-on-Sea. A picada infeccionou sua perna que teve que ser amputada, mas mesmo assim a sua esposa veio a falecer algum tempo depois. A perda devastou Montgomery, e dai em diante ele se tornou um homem cada vez mais obcecado pelo trabalho, egoísta e desprovida de muita sensibilidade. Montgomery insistiu em se atirar de volta para o seu trabalho imediatamente após o funeral.

Em 1938, ele organizou um exercício de operações combinadas de desembarque anfíbio que impressionou o novo Comandante-em-Chefe, do Comando Sul , General Wavell. Ele foi promovido a major-general em outubro de 1938 e assumiu o comando da 8ª Divisão de Infantaria 8 na Palestina. Lá, ele anulou um revolta árabe antes de retornar em julho de 1939 a Grã-Bretanha para comandar a 3 ª Divisão de Infantaria. Ao ouvir da derrota dos rebeldes em abril de 1939, Montgomery disse: "Eu fiquei triste em deixar a Palestina por muitos motivos, como eu gostava daquela guerra".

Segunda Guerra Mundial
A Grã-Bretanha declarou guerra à Alemanha em 3 de setembro de 1939. A 3ª Divisão de Montgomwry foi enviada para a Bélgica, como parte da Força Expedicionária Britânica (BEF). Montgomery previu um desastre semelhante ao que ocorreu em 1914, e assim passou todo o período da chamada Guerra Falsa treinando seus soldados para um recuo tático ao invés de operações ofensivas.
O esforço de Montgomery valeu a pena, pois quando os alemães começaram a invasão dos Países Baixos em 10 de Maio de 1940, a 3 ª Divisão avançado para o Rio Dijle e depois retirou-se para Dunquerque com grande profissionalismo, retornando à Grã-Bretanha praticamente intacta, com um mínimo de baixas. Durante a Operação Dynamo, a evacuação de 330.000 soldados aliados para à Grã-Bretanha, Montgomery tinha assumido o comando do II Corpo após Alan Brook ter assumido o comando de toda a BEF.

Em seu retorno Montgomery antagonizou o Gabinete de Guerra com críticas incisivas sobre o comando da FEB e foi rapidamente relegado ao comando divisionário. Ele porém conheceu Churchill e este gostou da forma de comando de Montgomery e em julho de 1940, foi nomeado tenente-general, e colocado no comando do V Corp, depois passou para o comando do VII Corpo em 1941 e em 1942 finalmente e assumiu o o comando da região Sudeste. Ele era responsável pela defesa de Kent, Sussex e Surrey. Ele renomeou seu comando para Exército do Sudeste para promover um espírito mais ofensivo. Durante este tempo ele desenvolveu e ensaiou as suas ideias e treinou seus soldados, culminando no Exercício Tiger em maio de 1942, uma força combinada de exercícios envolvendo 100 mil tropas. Durante este período, ele instituiu um regime de treinamento contínuo e insistiu em altos níveis de aptidão física para os oficiais e praças. Ele foi implacável, e demitiu oficiais que considerava inaptos para o comando em combate

Norte de África
Em 1942, um novo comandante de campo era necessário para o Oriente Médio, onde o general Auchinleck estava cumprindo tanto o papel de Comandante-em-Chefe do Oriente Médio como comandante do Oitavo Exército.

Ele tinha estabilizado a posição dos Aliados na Primeira Batalha de El Alamein, mas depois de uma visita em agosto de 1942, o primeiro-ministro, Winston Churchill, substituiu-o como Comandante-em-chefe por Alexander e deu ao General William Gott o comando do Oitavo Exército no Deserto Ocidental. Porém Gott foi morto em um acidente aéreo quando voava para o Cairo e Churchill foi persuadido por Aln Brooke, que por esta altura era Chefe do Estado-Maior Imperial de nomear Montgomery para substituir Gott.

Existe uma história, provavelmente apócrifa, porém popular na época, sobre a reação de Montgomery a sua indicação. Ele exclamou "Depois de ter uma guerra fácil, as coisas têm agora que serem mais difíceis." E um amigo supostamente lhe tenha dito para se animar - em que prontamente Montgomery lhe disse "Eu não estou falando de mim, eu estou falando de Rommel".

Montgomery assumiu o comando do Oitavo Exército em 13 de agosto de 1942, ele imediatamente tratou de mudar a postura daquela força de combate, bem como o seu moral. Ele ordenou a criação do X Corpo, que continha todas as divisões blindadas para lutar ao lado de seu XXX Corpo que foi todas as divisões de infantaria. É claro que os britânicos não estavam em condições semelhantes a um Corpo Panzer alemão e a sua incrível combinação de forças blindadas, infantaria e artilharia, mas Montgomery levaria seus homens a alcançarem melhores níveis de coordenação.

O Oitavo Exército só tinha um único comandante para sua tropas de infantaria e das unidades blindadas, o próprio Montgomery. Ele reforçou a frente de 48 km El Alamein, algo que levaria dois meses para se cumprir. Ele pediu a Alexander que lhe enviasse duas novas divisões britânicas (as 51ª e 44ª Highland) que chegaram ao Egito e foram destacadas para a defesa do Delta do Nilo.

Montgomery mudou o seu QG para Burg al Arab, perto do QG da RAF a fim de melhorar a coordenação das operações combinadas. Montgomery estava determinado que as forças do Exército, Marinha e RAF deviam lutar suas batalhas de uma forma unificada e focadas de acordo com um único e detalhado.

Ele ordenou o reforço imediato da cordilheira de Alam Halfa, logo atrás de suas próprias linhas, esperando que o comandante alemão, Erwin Rommel, atacasse aquele objetivo, algo que Rommel logo fez. Montgomery ordenou que todos os planos de contingência para retiradas fossem destruídos. "Eu quero que plano de retirada sejam cancelados", disse ele aos seus oficiais na primeira reunião que manteve com eles no deserto. "Se formos atacados, então não haverá recuo. Se não podemos ficar vivos aqui, então vamos ficar mortos aqui."

Blindados do Afrika Korps de Rommel avanço pelo Deserto Ocidental

Montgomery fez um grande esforço para comparecer perante todas as suas tropas o mais rápido possível, muitas vezes visitava várias unidades por dia, procurando se tornar conhecido por seus homens, buscando se cerca deles e lhes falando. Havia uma sensação de confiança. Montgomery falava aos homens que os tempos difíceis tinham terminado e que estava determinado a vencer.

Montgomery também buscou equipar as suas tropas com as armas mais modernas e mesmo constantemente pressionado por Churchill a iniciar a ofensiva, Monty, como ficaria conhecido, não ia deixar-se apressar. Estava determinado, como dizia, a que todos estivessem bem armados e em forma para a batalha iminente. Suas tropas receberam 300 modernos tanques Sherman americanos, que, com seu canhão de 75 mm, era mais do que páreo para os melhores tanques alemães no Deserto Ocidental.

Embora ele ainda usasse um quepe padrão de oficial padrão britânico na chegada ao deserto, ele rapidamente passou a usar um chapéu de abas largas australiano e depois passou a usar a boina negra das unidades blindadas com o emblema do Real Regimento de Tanques ao lado do emblema de Oficial General Britânico) que se tornou uma marca sua. A boina preta tinha sido oferecida a ele por um soldado quando ele subiu em um tanque para obter uma visão melhor da linha de frente.



Montgomery observa o Deserto Ocidental de cima da tore de um tanque M3 Grant de fabricação americana em novembro de 1942

Os generais Brooke e Alexander ficaram atônitos com a transformação na atmosfera do moral do soldado britânico quando visitaram as tropas em 19 de agosto, menos de uma semana após Montgomery te assumido o comando.

O Oitavo Exército Britânico se fortificava a cada dia. As tropas treinavam constantemente, e uma torrente de equipamento continuava a desembarcar. Às vésperas do combate, o Oitavo Exército, podia colocar em combate 1.350 tanques, muitos dos quais modelos novíssimos, além de 240.000 homens e quase 900 canhões.

Já o Eixo podia mobilizar 100.000 homens e quase 500 tanques. Contudo, a maioria desses tanques eram de fabricação Italiana, incluindo os notórios M.13, os quais tinham desempenho sofrível em combate, além de terem uma curiosa tendência a incendiar-se espontaneamente. Os italianos, apesar da sua bravura individual, eram bastante prejudicados pela qualidade do seu equipamento e pelo calibre inferior dos oficiais que os comandavam. Desse modo, o comando alemão, inclusive Rommel, que combatera os italianos no Isonzo em 1918, via a necessidade de usar as tropas italianas entremeadas nas formações alemãs, por absoluta falta de confiança no desempenho daquelas.

Enfrentando Rommel
O general Montgomery passou meses reunindo um grande exército de soldados britânicos, australianos, sul-africanos, indianos e franceses. As tropas alemães e italianas do Marechal Rommel estavam reduzidas em um contra dois, sem reforços e suprimentos. Eles se encontraram em El Alamein, uma pequena cidade a 60 milhas do porto egípcio de Alexandria. Ia se iniciar a Segunda Batalha de El Alamein que começou em 23 de outubro de 1942, e terminou 12 dias depois, como a primeira grande vitória em terra dos Aliados num momento decisivo da guerra.

A batalha começou com um fogo de barragem de artilharia massiva nas posições alemães – o bombardeio mais pesado desde a Primeira Guerra Mundial. Divisões aliadas blindadas atacaram as linhas alemãs, mas encontraram problemas nos extensos campos minados de Rommel.

Depois de dez dias de ataques, os aliados finalmente romperam as linhas do Afrika Korps durante uma batalha noturna intensa. As forças do Eixo recuaram até a Tunísia, iniciando o fim da presença alemã na África do Norte. Mais de 30.000 soldados do Eixo fora aprisionados, incluindo o segundo em comando do Afrika Korps, general Von Thoma, assim como outros oito oficiais generais. Rommel, estava em um hospital na Alemanha no início da batalha, foi forçado a retornar em 25 de outubro de 1942 após o General Stumme - seu substituto como comandante alemão - morrer de um ataque cardíaco nas primeiras horas da batalha.

A Batalha de El Alamein foi a primeira grande vitória dos aliados sobre o Wehrmacht alemão. Churchill disse mais tarde, “nós não havíamos tido uma vitória antes ou uma derrota depois”. E para Montgomery esse foi um momento importante que projetou a sua carreira as alturas.


Os tanques Sherman de fabricação americana, deram uma melhor capacidade de combate as  forças blindadas de Montgomery

Tunísia
O general Bernard Montgomery, pela sua atuação em El Alamein, foi elevado à nobreza, recebendo o título de Visconde Montgomery de Alamein. Ressalvadas as críticas que recaem sobre o seu comando, dele foi o mérito de ter batido a Afrika Korps. Montgomery foi condecorado e promovido ao posto pleno de General.

Com a retirada das tropas do Eixo Montgomery manteve a iniciativa, aplicando força superior quando lhe convinha, obrigando Rommel a adotar sempre uma postura defensiva. Em 6 de março de 1943, ataque de Rommel no contra os britânicos em Medenine (Operação Capri), sendo a maior concentração de blindados alemães no Norte da África, foi repelido com êxito. Na Linha Mareth, de 20-27 de março de 1943, Montgomery encontrou feroz oposição frontal, e ele mudou o seu grande avanço em um movimento de pinça, apoiado por caça-bombardeiros da RAF voando baixo.

No final da Campanha, o Afrika Korps, cercado por britânicos no Leste e pelos americanos no Oeste, que tinha desembarcado na África com a Operação Tocha, veio a sucumbi, diante da falta de reforços e do crescente poder dos Aliados. Por seu papel no Norte da África, Montgomery foi condecorado com a Legião de Mérito pelo governo dos Estados Unidos no posto de Comandante-Chefe.

O segundo em comando do Afrika Korps na Tunísia, general Von Thoma, capturado, se apresenta diante de Montgomery

Sicília
O próximo ataque Aliado importante foi a invasão da Sicília (Operação Husky). Montgomery classificou os planos iniciais para a invasão aliada, que haviam sido acertados antes por Eisenhower e Alexander, de serem inviáveis, devido à dispersão de esforços. Ele conseguiu fazer com que os planos fossem reformulados para concentrar as forças aliadas, tendo Sétimo Exército dos EUA, sob o comando de Patton, recebido a missão de apoiar o flanco esquerdo do Oitavo Exército de Montgomery, enquanto esse avançava para Palermo.

Houve crescentes tensões como os comandantes americanos Patton e Bradley (então subordinado de Patton e a frente do II Corpo dos EUA), que se ofenderam com o que eles percebiam como atitudes de ostentação de Montgomery. Patton inclusive iniciou uma corrida contra Montgomery pela glória de capturar a estratégica cidade de Messina. Corrida essa que Patton ganhou.

Campanha da Itália
Durante o outono de 1943, Montgomery continuou a comandar o Oitavo Exército durante o desembarque no território continental da própria Itália. Os britânicos desembarcaram em Salerno (perto de Nápoles) ao lado das tropas norte-americanas do Quinato Exécito do General Mark Clark.

Montgomery comandou o Oitavo Exército até o dedo do pé da bota italiana. Algumas críticas foram feitas devido a lentidão do avanço de Montgomery. Na verdade o cenário italiano era bem diferente do Deserto Ocidental, e o terreno era favorável a defesa. Em dezembro de 1943 Montgomery deixa o comando do seu querido Oitavo Exército, pois tinha sido convocado para voltar ao Reino Unido para fazer parte do plano da Operação Overlord, a invasão da Normandia.

Normandia
Ao chegar na Inglaterra Montgomeruy assumi o comando do 21º Grupo de Exércitos, que consistia de todas as tropas aliadas que tomariam parte na Operação Overlord.

 

Eisenhower e Montgomery, durante manobras  visando preparar as tropas aliadas para a invasão da Normandia.

Durante a invasão do Dia D, e por vários meses após a invasão, Montgomery comandou todas as forças terrestres aliadas: britânicas, canadenses e americanas. No setor norte do seu comando, as tropas Britânicas ficaram imóveis na parte de fora da cidade francesa de Caen.

O plano original de Montgomery iria capturar Caen em poucos dias após a invasão, mas na realidade demorou várias semanas para capturar essa cidade crucial. Intencionalmente ou não, a sua persistência fez com que os alemães insistissem na defesa da cidade, enviando reforços para aquela frente com o objetivo de proteger Caen, deixando o Terceiro Exército Americano, do General Patton, entrar pelo oeste e depois norte, capturando várias forças alemãs que recuavam no bolsão de Falaise.

Em geral, o seu desempenho de Montgomery na Campanha da Normandia foi criticado por muitas pessoas, que consideravam os seus planos muito rígidos e sem imaginação. O alto comando da Wehrmacht alemã, viu-o como uma ameaça não muito perigosa como comandante em comparação ao General Patton, que consideravam muito mais perigoso.

Os defensores de Montgomery afirmavam que a sua precaução era pelo fato dele comandar na maior parte das vezes, forças britânicas e canadenses, e que estava ciente que estas forças eram limitadas em número, que os britânicos sofriam baixas desde 1939, e que não era fácil repor tais perdas. E por isso ele não poderia correr o risco de sacrificá-las desnecessariamente. Uma situação diferente era a dos comandantes americanos, Bradley e Patton, que podiam contar com recursos e homens ilimitados vindos dos Estados Unidos.

Avanço para o Reno
A crescente volume das tropas americanas no teatro europeu (de cinco das dez divisões no Dia-D para 72 das 85 divisões em 1945) fez com que ficassem impossível politicamente que as tropas em terra tivessem a frente um comandante britânico.

Após o término da campanha da Normandia, o General Eisenhower ficou com o comando das forças terrestres, enquanto continuava como Comandante Supremo, Montgomery continuou a comandar o 21º Grupo de Exércitos, agora consistindo principalmente de unidades britânicas e canadenses. Montgomery ressentiu-se desta alteração, embora tivesse sido aprovada antes do Dia-D. Winston Churchill tinha promovido Montgomery Marechal de Campo como forma de compensação.

Porém Montgomery foi capaz de convencer Eisenhower a adoptar a sua estratégia de uma frente única atingir o Ruhr, o coração industrial da Alemanha, com a Operação Market Garden em setembro de 1944. Foi a mais atípica das batalhas de Montgomery: uma ofensiva estrategicamente ousada, mas mal planejada.

Montgomery não recebeu ou ignorou informes da inteligência, que alertavam para a presença de unidades blindadas alemãs perto do local de desembarque das tropas aerotransportadas em Arnhem. E a operação não obteve seu sucesso, deixando os Aliados de chegarem até o Reno mais rápido e acabar com a guerra até o final de 1944

A preocupação de Montgomery com o impulso para o Ruhr o tinha desviado de dar maior atenção a tarefa essencial de limpar o rio Escalda , durante a captura de Antuérpia, e assim, depois de Arnhem, o 21º Grupo de Exército de Montgomery foi instruído para se concentrar em completar essa missão para que o porto de Antuérpia pudesse ser aberto.

Quando ocorreu o ataque de surpresa nas Ardenas em 16 de dezembro de 1944, a frente do 12º Grupo do Exércitos dos EUA foi dividida, com a maior parte do Primeiro Exército dos EUA ficando no setor norte desta nova frente de batalha. O Comandante do 12º Grupo de Exércitos, o general Omar Bradley , foi localizado no sul da penetração alemã em Luxemburgo e o comando do Primeiro Exército dos EUA se tornou problemática. Montgomery era comandante com maior patente mais próximo e em 20 de Dezembro, Eisenhower (que estava em Versailles) transferiu o Primeiro Exército de Courtney Hodges e o Nono Exército de de William Simpson, ambos dos EUA, para o 21º Grupo de Exércitos, apesar dos veementes protestos de Bradley, por razões nacionais.

Montgomery rapidamente se pôs a enfrentar o perigo da ofensiva alemã. PAssou a visitar todos os corpos, divisões, e os comandantes de Exército. Ele agrupou os britânicos do XXX Corpo como uma reserva estratégica por trás do Meuse e reorganizou a defesa dos EUA no flanco norte, encurtando e reforçando a linha e ordenou a evacuação de St Vith.

Montgomery dirigiu a batalha através de uma série de ações isoladas em uma batalha travada de forma coerente de acordo com um plano claro e definido por ele. Foi a sua recusa em participar em prematuros e fragmentados contra-ataques que permitiu que os americanos reagrupassem as sua reservas e frustrassem as tentativas alemãs de alargar a sua ofensiva.

Eisenhower queria então que Montgomery iniciasse uma ofensiva em 01 de janeiro para apoiar o Exército de Patton, que tinha começado a avançar a partir do sul, em 19 de Dezembro, e ao fazê-lo, cercar os alemães. No entanto Montgomery se recusou a comprometer a sua infantaria pois a considerava despreparada para e enfrentar uma forte tempestade de neve e não via razões para lutar por um pedaço de terra com pouca importância estratégica.

Ele não lançou o seu ataque até 03 de janeiro, o que deu aos alemães a oportunidade de escapar de mais um bolsão aliado. Uma grande parte dos militares norte-americanos pensavam que ele não deveria ter retido, embora fosse característico dele se dedicar a extensos preparativos que prolongavam seus ataques.

Depois da batalha, o Primeiro Exército dos EUA voltou para o 12º Grupo de Exército; e o Nono Exército dos EUA permaneceu com o21º Grupo de Exércitos, até que se cruzarou o Reno.

O 21º Grupo de Exércitos de Montgomery avançou para o Reno, com as operações Veritable e Grenade, em fevereiro de 1945. A travessia do Reno foi meticulosamente planejada e ocorreu em 24 de março. Embora bem-sucedida ocorreu uma semana depois que os americanos tinham capturado inesperadamente a Ponte Ludendorff e atravessado o rio Reno.

 

Oficiais alemães se apresentam a Montgomery para assinarem a rendição de tropas alemãs no Norte da Alemanha, Dinamarca e Holanda.

A travessia de Montgomery do Reno foi seguida pelo cerco dos alemães do Grupo de Exércitos B no Ruhr. Inicialmente o papel de Montgomery foi a guarda do flanco do avanço americano. Esta ação foi alterada, no entanto, para evitar qualquer possibilidade do Exército Vermelho avançar em direção a Dinamarca, e o 21º Grupo de Exércitos ocupou Hamburgo e Rostock e isolou a dinamarquesa península.

Em 4 de maio de 1945, em Lüneburg Heath , Montgomery aceitou a rendição incondicional das forças alemãs no Norte da Alemanha, Dinamarca e Holanda. Isso foi feito de forma simples em uma barraca de campanha, sem qualquer cerimônia.

Após a cessação das hostilidades, Montgomery estava no auge de sua fama pessoal, uma figura nacional de grande importância, reverenciado por seus homens e saudado como o maior soldado da Grã-Bretanha desde Wellington.

Final da vida
Depois da guerra, ele foi instituído como o 1º Visconde Montgomery de Alamein e chefe supremo do comando imperial inglês em 1946, sucedendo Alanbrooke, mas foi um grande fracasso, pois o cargo exigia habilidades estratégicas e políticas que ele não possuía. Ele se indispôs com seus companheiros, enviando muitas vezes auxiliares para participar das reuniões e ele entrou em conflito especialmente com Arthur Tedder , que, como Vice-Comandante Supremo tinha se desentendido com Montgomery, durante a Batalha da Normandia, e que agora era Chefe de Estado-Maior da RAF.

Quando o mandato de Montgomery expirou, o primeiro-ministro Clement Attlee nomeou o General (mais tarde Marechal) William Slim como seu sucessor, o que Montgomery protestou, dizendo que ele tinha dito ao seu protegido General Crocker , um ex-comandante do Corpo da Campanha de 1944-5, que o cargo seria seu, Attlee não levou em consideração o seu protesto.

Ele também foi Comandante Supremo adjunto das forças militares da OTAN de 1951 a 1958. Ele era um eficaz inspector-geral e montava bons exercícios, mas não tinha profundidade politicamente, e sua ênfase na eficiência criava sempre mal-estar. Ele continuou a servir sob o comando de Eisenhower, Matthew Ridgway e Al Gruenther, até sua aposentadoria, com quase 71 anos, em 1958, após uma carreira de 50 anos.

Montgomery morreu de causas não especificadas, em 1976, em sua casa em Isington Mill, Isington. próximo a Alton, Hampshire, aos 88 anos. Depois de uma cerimónia fúnebre na capela de St George's Chapel, Windsor, ele foi enterrado em Holy Cross Churchyard, Binsted. Seu filho David, não quis ouvir falar da carreira militar, como Monty tão pouco tinha querido falar da carreira eclesiástica do seu pai.

Montgomery, que muitos de seus colegas e superiores ao longo de sua aprenderam a não gostar era arrogante, ciumento, prepotente e egoísta, insensível, ingrato, além de ser ferozmente franco, vaidoso e inabalavelmente convencido de sua capacidade e direito de comando. Faltava-lhe humildade e sempre procurava impor sua vontade sobre os outros.

Não tolerava os tolos, ou quem se constituísse um adversário em sua carreira. Sempre se cercava de pupilos e subalternos que não ousariam, nunca, contestar sua supremacia. Desde a sua infância mudara pouco. Sempre lutando contra a autoridade materna, por assim dizer desde o berço. Ele teve uma infância difícil e infeliz e isto refletiu em toda a sua vida. Por seu complexo de inferioridade lhe fazia agir com dureza para com seus subordinados e desprezo pelos superiores. Um grande impacto sobre o seu caráter foi a trágica morte de sua esposa, cuja atenção amorosa ajudou a melhorar impacto da infância Monty sobre sua vida. Depois da morte da esposa ele se tornou mais obcecado pelo trabalho e mais inflexível.

Quase desde o primeiro momento que Monty teve problemas com os generais norte-americanos, que sem dúvida subestimava. Sendo Eisenhower comandante supremo, teve que colocar-se às suas ordens. As suas relações foram tensas e azedas em muitas ocasiões. O êxito e a fama não tinham abrandado o carácter de Monty, e quando este escreveu as suas Memórias criticou muitas decisões de Eisenhower, que deixou de escrever-lhe, como era costume, a felicitá-lo. Isto surpreendeu Monty, que lamentava tão sério os juízos contrários.

O choque entre dois generais era inevitável porque ambos tinham um conceito completamente diferente sobre como se devia conduzir a guerra. Em solo europeu Montgomery não foi tão brilhante como no Norte de África. O Marechal de Campo Sir Alan Brooke, escreveu mais tarde: "Ele (Montgomery) foi provavelmente o melhor tático desde Wellington que tivemos. Mas em algumas de suas estratégias, e especialmente em suas relações com os americanos, ele foi quase um desastre."

Ele cometeu erros, como o da batalha de Arnhem, que deteve a progressão aliada e que dizimou a 1ª Divisão Aerotransportada britânica. Monty nunca reconheceu esta derrota; disse apenas que tinha sido um êxito em 90 por cento.

Como um militar com tais atitudes conseguiu chegar até onde chegou? Montgomery se tornou o grande herói da causa Aliada em El Alamein, no momento em que as forças do Eixo eram consideradas imbatíveis. Ele derrotou o lendário Rommel, a Raposa do Deserto. Ele sabia treinar e motivar os seus homens para a batalha e forma exemplar. E ele venceu praticamente todas s batalhas que travou e a causa Aliada necessitava de vencedores. Era carismático com a tropas, e amado pelo soldado comum, que sempre falava dele com afeição e lealdade. Diante de suas experiências na Primeira Guerra, onde viu generais ineptos lançarem milhares de homens par a morte certa, Monty desenvolveu um interesse quase obsessivo em dominar a sua profissão, bem como estudar, descobrir e desenvolver os meios para assegurar a vitória com o mínimo de perdas de vida. Ela se convenceu da importância da preparação prévia, do planejamento detalhado, da gestão cuidadosa de homem, bem como do treinamento intensivo, ensaios frequentes, do reconhecimento da força inimiga par atacar com força total no ponto vital do inimigo para vencer suas batalhas com perda mínima de vidas.

Mesmo não sendo o grande general que pensava ser Montgomery foi um profissional bem preparado em vários níveis por força de sua experiência e anos de estudo. Era um líder inspirador impressionante, um planejador qualificados que tinha capacidade de simplificar problemas complexos, um grande treinador de homens e um talentoso praticante da guerra moderna, que dedicou sua vida à sua profissão.

A combinação de sua arrogância, falta de tato pessoal, e a incapacidade de manter um ambiente cordial de cooperação com seus pares e Aliados americanos quando isto era de suma importância para se vencer a guerra quase lhe custou o emprego e reduz a sua posição em relação a outros verdadeiramente grandes britânicos como Wellington.

Talvez o veredito final possa ser sintetizado nas palavras do General von Thoma, que, comentando sobre o comando do seu adversário britânico disse: "Eu acho que ele foi muito cauteloso, considerando a sua força imensamente superior, mas ele é o único Marechal de Campo desta guerra que venceu todas as suas batalhas".

O grandemente condecorado Marechal Bernard Montgomery

Títulos e condecorações
- Visconde (Dezembro 1945)
- Cavaleiro da Ordem da Jarreteira (1946)
- Cavaleiro da Grande Cruz da Ordem do Banho (1945) KCB - 11 de novembro de 1942, CB - 11 de julho de 1940 [87]
- Ordem de Serviços Distintos (1914)
- Mencionado nos despachos (17 de fevereiro de 1915, 04 janeiro de 1917, em 11 de dezembro de 1917, 20 de maio de 1918, 20 de dezembro de 1918, 05 de julho de 1919, 15 de Julho de 1939, 24 de junho de 1943, [88] 13 de janeiro de 1944
- Medalha de Serviços Distintos ( EUA ) (1947)
- Legião de Mérito (Comandante-Chefe) (EUA) (10 de agosto de 1943)
- Ordem da Vitória ( URSS ) (21 de Junho de 1945)
- Ordem de Suvorov , de 1 ª classe (URSS) (16 de janeiro de 1947)
- Croix de Guerre (França) (1919)
- Ordem do Elefante (Dinamarca) (2 de agosto de 1945)
- Ordem do Rei George I, Grande Comandante (Grécia) (20 de junho de 1944)
- Virtuti Classe V Militari (Polônia) (31 de outubro de 1944)
- Ordem do Leão Branco da Grande Cruz, (Tcho-eslováquia) (1947)
- Grand Cordon do Selo de Salomão (Etiópia) (1949)
- Ordem de Leopoldo II, Grande-Oficial com palma (Bélgica) (1947)
- Croix de Guerre 1940 com Palm (Bélgica)
- Grã-Cruz da Ordem do Leão Holandês (Holanda) (16 de janeiro de 1947)
- Ordem de Santo Olavo, da Grande Cruz (Noruega) (1951)
- Médaille Militaire (1958),
- Grande Cruz da Legião de Honra (maio 1945)
- Estrela de Ouro da Vitória (Checoslováquia, 1947)
- Cruz de Guerra 1939 (Checoslováquia, 1947)

Carreira Militar
1908-1910: Segundo Tenente
1910-1912: Tenente
1912-1914: Capitão
1914-1915: Capitão, DSO
1915-1918: Capitão (Brevetado Major ), DSO
1918-1919: Capitão (Major Brevetado e temporariamente tenente-coronel ), DSO
1919-1925: Capitão (Major Bvt.), DSO
1925-1926: Major, DSO
1926-1929: Major (Temp. Tenente-Coronel), DSO
1929-1931: Major (Bvt. Tenente-Coronel), DSO
1931-1934: Tenente-Coronel, DSO
1934-1937: Coronel, DSO
1937-1938: Coronel (Temp. Brigadeiro), DSO
1938-9 de julho de 1940: Major-general, DSO
De 9 a 22 julho de 1940: Major-general, CB , DSO
De 22 de julho de 1940 a 16 de outubro de 1942: Major-general (Actg. Tenente-General), CB, DSO
16 de outubro - 10 de novembro de 1942: Tenente-general, CB, DSO
10 de novembro de 1942-1944: General Sir Bernard Montgomery, KCB , DSO
1944-1945: Marechal de Campo Sir Bernard Montgomery, KCB, DSO
1945-1946: Marechal de Campo Sir Bernard Montgomery, GCB , DSO
1946-1976: Marechal de Campo honorável direito de Visconde de Alamein , KG GCB, DSO
 



Free web templates by Nuvio – Our tip: Webdesign, Webhosting